Vivência da Essência Xamânica

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Vivência da Essência Xamânica

Mensagem  Admin em Sex Mar 12, 2010 12:19 pm

Vivência da Essência Xamânica

Somos tão passivos em relação às emoções que, por vezes, fingimos que as elas não existem. Preferimos esconde-las bem no fundo de um baú, onde ninguém, nem nós mesmos, as podemos percepcionar. Temos medo de nós próprios, das nossas emoções, tornando-nos desse modo, nos nossos maiores inimigos. Como é possível? Porquê?
Meus irmãos, em verdade vos digo, não tenham medo… Não existe nada mais maravilhoso que conhecermo-nos a nós mesmos. Se eu próprio não me conhecer então quem me conhecerá? De que me serve a vida se vivo numa ilusão criada por mim mesmo a meu próprio respeito? Porque temos vergonha da raiva, por exemplo. Irmãos, urge deixarmos de ser hipócritas. Sim, hipócritas! Passamos a vida mergulhados na hipocrisia, pois, apresentamos ser quem, de facto, não somos. Vivemos de aparências. Por exemplo: Alguém acha que deve, ser pacífico. Então essa pessoa não aceita a raiva. Acha que para ser pacífico não pode sentir raiva. Como tal não aceita a sua existência dentro de si e diz para ela própria – eu não tenho raiva dentro de mim! - Ao não aceitar a existência da raiva, em verdade, está a reprimi-la. E a repressão das emoções e dos sentimentos leva à estagnação energética! Não reprima; aceite o que existe dentro de si, pois é sua e de mais ninguém. Aprenda a vive-la, a apreciá-la e verá que lhe pode ser muito gratificante.
Quando aceitar o que existe dentro de si poderá usar de maneira activa. É por isso que os xamãs são actores. No teatro esconde-se um imenso poder. Mais, usamos as emoções de maneira activa e, por esse motivo, somos menos apensos a sermos vítimas de emoções negativas.
Para entender melhor tem de compreender que em xamanismo não existe a dicotomia entre positivo e negativo no sentido ordinário dos termos. No xamanismo não existe antagonismo entre positivo e negativo pois, tudo faz parte do Todo e tudo está bem. Existe sim, aceitação de factos e transmutação daquilo que achamos que deve ser alterado em nós. Pelo menos é esta a minha visão.
Para despertar essa capacidade, temos de encontrar no nosso mundo interior, na nossa viagem ao mundo profundo do nosso Ser, percorrendo caminhos que nos levarão a descobrir a nossa caixa de pandora, ao nosso oculto, ao encontro de nós mesmos, ver quem somos. A grande dificuldade que encontramos (ela se expressa de muitas maneiras, mas é sempre a mesma) vem do facto que somos como hipnotizados e não cremos ou não temos a coragem de reconhecermos como somos.
O hipnotismo não é um estado espectacular e raro, mas um estado permanente. Somos hipnotizados pelos nossos preconceitos, pela educação recebida, pelos pais, professores, pelas religiões, pelos tios, avós, políticos… pelas nossas expectativas e pelas nossas emoções. Conseguimos com facilidade o que não é importante para nós. Vivemos tempos em que somos bombardeados por todos os lados com informação que apenas serve para nos distrair, para nos afundarmos, não crescermos nem avançar no nosso próprio caminho, para ocupar o tempo que seria extremamente útil na nossa evolução. Mas quando o assunto é sério, temos medo de tomar decisões, temos medo de errar. Olhamos a situação com emoção, percebendo apenas a dificuldade. Olhamos para as pedras que existem no caminho sem, contudo, apreciarmos a beleza que existe nessa estrada. Focalizamos os buracos e não reparamos na formosura das árvores que a ladeiam. É como se nada mais existisse ao redor da dificuldade, como se o Universo tivesse desaparecido. Perceber soluções torna-se difícil, tomar opções ainda mais. Nossa preocupação torna problemático o que era simples. Quantas vezes vimos pessoas muito inteligentes, no “hipnotismo” de uma emoção, tomar decisões imprudentes e agir de maneira estulta! Fomos ensinados a reprimir nossas emoções, sobretudo as negativas. Assim fazendo, rejeitamos nossas emoções para o inconsciente, e perdemos o controlo. Como vamos controlar o que nos é inconsciente, aquilo que não temos noção de existir? A emoção rejeitada não vai deixar de existir, apenas na noite do inconsciente vai agir de maneira cega, distorcendo nossas percepções, nossa inteligência, nosso destino. Estaremos sendo hipócritas connosco e com os demais, pois não vivemos a verdade do nosso Ser. Lutar contra a emoção também não funciona, piora. A emoção recebe mais energia, cresce. A verdadeira maneira de lidar com as emoções consiste em sermos realistas, coerentes e conscientes no mundo real: espiritual, astral e material.
Não seja hipnotizado, não seja hipócrita. Se existe raiva, dor, angustia, ou outra coisa qualquer então aceite e liberte-se. Muitos dizem para libertar a emoção através do processo de a sentir. Em verdade eu vos digo: Não a sintam, sejam. Se eu estou com raiva então sou a própria raiva; se estou com ódio então sou o próprio ódio, se estou com paz, então sou a própria paz. Sinta essas energias. Seja essas energias, viva-as. Deixe-se levar por elas. Por exemplo: Eu sou a angustia. Seja a angústia, sinta-a, sinta essa energia a tomar conta de si, sinta o seu corpo a mudar, a emoção a crescer até não caber mais dentro de si e, quando ela não couber mais, então ela encontrará o caminho de saída para se poder expandir ainda mais… então sentirá uma alivio enorme, pois, ela saiu dentro de si, aceitou-a, viveu-a, e realizou o seu processo de catarse.
Ao contrário do que nos foi ensinado, alcançar o mundo espiritual é fácil, porque não tem distância, o mundo espiritual está aqui, está bem perto de si. Basta se lembrar que não somos nossas roupas, nem nosso corpo físico, nem nossas emoções, nem tão pouco a nossa mente. Temos roupas, temos um corpo humano maravilhoso, temos emoções, mas não somos essas coisas, somos a consciência dessas coisas. Somos uma consciência. Sua consciência tem limites? Tem! E os limites foram criados por si, com todos os seus condicionamentos mentais, medos e insegurança. Foi você que os impôs, que os criou e é responsável por eles!
O infinito é apenas uma parte de realidade. As realidades são espiritual e material. Presente na realidade total, usamos de maneira natural uma lógica multidimensional. Mas o problema reside em não sabermos o que é importante. Para quem não atingiu maturidade tudo é importante e agimos, ou melhor, reagimos. Em contacto natural com nossa totalidade, com a imensa riqueza de conhecimentos e de capacidades armazenados no nosso inconsciente, agimos de maneira inspirada. Não basta saber, precisa Ser. Não basta ter que acreditar, temos que saber porque acreditamos e a informação está em todo o lado. Por onde formos ela nos acompanha, pois, está dentro de nós, está em todo o Universo.
Rir, dançar, celebrar a vida, a existência, desfrutar da Natureza, termos a coragem de ser nós próprios, resgata-nos do estado hipnótico.
Costumo dizer que devemos lidar com as situações no papel de observadores, ou seja, saia do centro do círculo e vá para a periferia. Quando se encontrar na periferia, apenas observe. Se existe algum problema, ao deslocar-se para a periferia temos uma visão mais abrangente de tudo. Em primeiro lugar não estamos no centro do problema; em segundo lugar a visão da situação é mais lata o que nos permite ver, antever e encontrar a melhor solução, em determinada situação dentro daquele espaço-tempo.
Quando estamos na periferia, estamos a olhar a situação de fora. Não podemos ser atingidos. É como se estivéssemos num outro espaço, e de facto, estamos num outro espaço, estamos na nossa dimensão espiritual: somos uma consciência, uma consciência infinita olhando de fora um problema que, por vezes, é tão pequeno! Não deixamos por isso de perceber, continuamos presentes na nossa dimensão total. Continuamos presentes em nós. Somos realistas, presentes na nossa totalidade: espiritual, astral e material.
E somos tão sérios. Levamos a sério o que é sério (e tudo é sério) e tudo que não é sério (e nada é sério). Talvez possamos começar a compreender que tudo pode ser uma porta aberta para seu contrário. A delícia de comer um bolo de chocolate de 1kg é uma porta aberta para o sofrimento duma diarreia libertadora. Tudo é como uma brisa, leva as folhas para qualquer outro lugar.
Quando começamos a almoçar, agradecemos ao Grande Espírito pela boa comida e com generosidade convidamos a si para compartilhar os melhores pedaços e isto me parece lógico. Na Nascente de Luz temos um cozinheiro. Enquanto nos debruçamos em várias actividades, ele prepara o nosso almoço. E dá prazer de o observar. Faz com dedicação, com Amor. E isso me parece lógico. A refeição, para nós, tornou-se uma festa, uma celebração. É um convívio fraterno entre irmãos e isso me parece lógico.
Quando um padre começa a pregar em nome de Deus isso, para mim, é ilógico. O que é Deus? Quem é Deus? Ele desconhece. Mas fala em nome de um desconhecido. Isto é ilógico. Tanto o padre, pastor e afins, falam do que ouviram outros contar. Ensinaram-lhes que era assim e eles, por sua vez, repetem o que lhes foi dito. Na maioria nem reflectiram do que ouviram. São papagaios que repetem o que ouviram… Isto para mim é ilógico!
Na vivência da essência xamânica só existe algo que tem de ser feito: O “Caminho do Guerreiro”! Você não é obrigado a nada; tudo está nas suas mãos. Nada é impossível, nada tem limites. Quando deixar de ser hipócrita começará a discernir as verdades.
Comece por trabalhar as raízes. Comece a conhecer-se e liberte as mascaras que carrega há milénios. Qual o seu verdadeiro rosto? Já não sabe, já se esqueceu. Olhe para um espelho fixamente com os olhos focados nos olhos reflectidos. Quando a imagem começar a se desfocar, foque outra vez e terá uma grande surpresa. Não se engane a si próprio. Seja honesto e reconheça quem você é. Não peço por mim mas por si.

Seja feliz e…
… Muita Paz
Mário Cardeal
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 62
Data de inscrição : 14/02/2010
Idade : 55
Localização : Vila Franca de Xira

Ver perfil do usuário http://nascentedeluz.livre-forum.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum